poema

poemas

depois da doutrina do choque

depois da doutrina do choque

O poema é do ano passado. Fiquei com vontade de compartilhar hoje contigo. Que nos valha. Memes e a imensa poesia dos dias. . . depois da doutrina do choque agora que os céus caem agora que os demônios são ...

Read more

A pós-humanidade inevitável

A pós-humanidade inevitável

A antologia "Hiperconexões" publica seu 3o volume pela Editora Patuá. Com a proposta de pensar o que seria uma poética sobre a pós-humanidade, traz um exercício imaginativo aos dias de hoje. Compartilho meu poema ao tomo.

Read more

Poema novo, “falanges”

Poema novo, “falanges”

Aqui vai outro poema inédito. O Hugo me ajudou com o esquema de vírgulas, não foi tão simples – gracias! *   *   * . falanges . se o homem morre pela boca, poetas morrem pelos dedos. eu não tinha o ...

Read more

a nave, coerência e escolhas

a nave, coerência e escolhas

Aqui vai um poema inédito, escrito após uns dilemas políticos. As pessoas gostam daquela expressão "a coerência mandou beijos", mas discursos bem-realizados não conseguem responder a muita coisa. Aqui vai um poema para você levar, "a nave está pronta".

Read more

lápis e lápide

lápis e lápide

Fiz uma série de poemas. Esta safra nova é meio engraçadinha, com jogos de palavra. Tipo uma entresafra. Não é um, não é outro. Um caminho no meio.

Read more

constelações e perguntas

e me diga, quem matou o rio? o rio que dava título ao teu nome. arsênico. no morro e no vale, a vaca cheia de leite. leite que sonha doce de leite, que sonha queijo, que sonha. arsênico. quem matou o rio e peixes boiam, potros boiam, boiada de bichinhos que se vão em vale.

Read more

2 poemas e o processo criativo

2 poemas e o processo criativo

. lugar comum 47: happiness a felicidade é um rinoceronte de aço que te atropela num trago no rastro, mistério e treva do que é amargo . . como domar feras com um espelho pegue a mais temível fera na ...

Read more

o amor e o uso dos pronomes

meu amor me presenteia com flores esquecidas na rua meu amor tem pesadelos para que eu durma quentinha meu amor é um urso com a pelucia por dentro meu amor é meu. : porque essa lingua é surda nos enrosca ...

Read more
Follow on Feedly