“Pela janela”: minha dica de filme!

Share

Quero muito indicar um filme que estreia hoje: Pela Janela (A window to Rosália, dir. Caroline Leone, 2018) em várias salas do Brasil.

O filme explora uma protagonista pouco tratada no cinema: a mulher de 65 anos. A estreia de Caroline Leone na direção e a atuação de Magali Biff são demonstrações claras sobre a necessidade de termos mais mulheres dirigindo, atuando, alavancando estórias que você bem conhece, mas que raramente são narradas a um público maior. “Pela janela” é presente.

Rosália vê seu mundo despencar. Operária experiente, a protagonista, que dedicou a vida ao trabalho, em uma fábrica em São Paulo é despedida. Seu desespero e vazio são retratados com a economia que estas mulheres fortes fazem. Com semblante centrado, roupas alinhadas e poucas palavras, vai vivendo muidinho. Parece muito com minhas tias. Na realidade, acho que você conhece alguém como Rosália.

Do outro lado da trama, o irmão José (Cacá Amaral) tenta dar um jeito. Sem conseguir encontrar alguém que dê uma força à Rosália no momento de crise, afinal, o resto da família está sempre muito ocupada, a solução foi a levar para uma viagem de carro a Buenos Aires.

Rosália vai viajar e vamos junto. De carro, estradas e plantações infindáveis. Em hotéis de pernoite, enfeitados por quadros de moldura dourada. Entre pessoas de fala engraçada e sortes inesperadas.

Mudança é o tema do filme, tão benfazeja em começos de ano, tão sensível em tempos de crise. A importância de laços afetivos, a solidariedade de sobreviver ao cotidiano. Um convite para aproveitar o dia, a música. Uma mudança de enfoque cinematográfico que insere o Brasil dentro da América Latina, mostra uma Argentina tão próxima, longe dos pacotes de turismo e perto nas cantorias.

.

Cataratas que verdejam um mundo

Tive a oportunidade de assistir ao primeiro corte. A Carol é minha vizinha, sou muito sortuda em poder escutar a risada contagiante dela. O filme tomou corpo desde então, ganhou ritmo, encadeamentos. O filme está feito.

A cena das Cataratas é fabulosa. Engraçado que a sinto agora, quando escrevo este texto, mais presente do que no cinema. Como a Carol disse na pré-estreia: “O filme começa devagarinho. Tenha um pouco de paciência, espera e deixa que ele vai conquistar teu coração”. É isso mesmo.

Na plateia da pré-estreia lotada no Espaço Itaú, encontrei mais vizinhas. Muito orgulho da amiga, muito orgulho das mudanças possíveis que vamos assistindo devagarinho.

“Pela janela” ganhou muitos prêmios, inclusive internacionais. Agora é o teste de fogo, está em cartaz no Brasil. Vá assistir, dê sua moeda da sorte à Rosália, às nossas histórias, às nossas atrizes, às nossas cineastas.

.

Filme: Pela Janela
Drama/Cinema de ficção ‧ 1h 27m
Rosália é uma operária de 65 anos que dedicou a vida ao trabalho em um fábrica de reatores da periferia de São Paulo. Ela é demitida e, deprimida, é consolada pelo irmão José, que resolve levá-la a Buenos Aires em uma viagem de carro.
Data de lançamento: 18 de janeiro de 2018 (Brasil)
Direção: Caroline Leone
Roteiro: Caroline Leone
Produção: Sara Silveira, Hernan Musaluppi, Maria Ionescu
Veja aqui onde estará em cartaz: http://www.vitrinefilmes.com.br/site/?page_id=3754

Pela Janela é um sopro de inteligência e afeto, por Luiz Zanin Oricchio, Estadão
Leia trecho do roteiro de ‘Pela Janela’, filme de estreia de Caroline Leone, Ilustríssima
“Pela Janela” trata de transitoriedade das emoções com minimalismo, por Reinaldo Glioche, iG
Road movie brasileiro “Pela Janela” aborda transformações após a demissão, por Daniel Felix, gauchazh

.

Prêmios

46º International Film Festival Rotterdam 2017 – Seção Bright Future – Prêmio FIPRESCI (Prêmio da Crítica Internacional)
Habana Films Festival – Festival Internacional del Nuevo Cine Latinoamericano – Prêmio de Contribuição Artística
45º Festival de Gramado – Competição Oficial
41ª Mostra Internacional de São Paulo
X Janela Internacional de Recife
Festival East West Russia 2017
Malatya IFF (Turquia) – International Competition Films
12º Fest Aruanda do Audiovisual Brasileiro – Melhor atriz pra Magali Biff, Melhor ator coadjuvante para Cacá Amaral e Melhor Som

Share

Related Posts

Follow on Feedly