“Os Despossuídos” de Ursula Le Guin, resenha para Ilustríssima

Share

Escrevi, aqui da Província Imaginária, uma resenha crítica a respeito do livro “Os despossuídos”, obra clássica da ficção científica para a Ilustríssima por ocasião do Clube de Leitores da Folha.

Colo o início e o link para você ler na íntegra :)

* * *

Ursula Le Guin discute o conceito de utopia em livro de ficção científica que se passa entre dois planetas gêmeos

Shevek é um homem magro, alto, ossudo e branco, com cabelos longos, olhos claros, fala reservada. Poderia ser um hippie californiano dos anos 1970. Entretanto, é nativo do planeta Anarres e protagonista de “Os despossuídos”, obra clássica de Ursula Le Guin. Shevek irá atravessar um muro. Uma travessia que ninguém fez antes, embora não haja placas de “passagem proibida”. Shevek atravessará o muro, escapando de pedras que lhe atiram em protesto. Silencioso, subirá na nave espacial. Em seu destino, conhecerá seres humanos do planeta Urras. Irá sorrir calmo e perguntar: “Aqui está o seu anarquista. O que farão como ele?”

O livro narra a jornada de Shevek, um homem que desafiará muros. Considerado obra de referência, “Os despossuídos” foi publicado em 1974, após o premiado “A mão esquerda da escuridão” (1969). Recebeu os maiores prêmios da ficção científica, Hugo, Locus e Nébula. Escrito no período de distensão da Guerra Fria e durante a Guerra do Vietnã, incorpora a rivalidade entre nações, a ameaça de aniquilação mútua, a corrida espacial. Na ficção, muitas peças do enxadrismo geopolítico estão presentes: impasse capitalismo versus comunismo, sem esquecer do Terceiro Mundo em disputa.

Entretanto, Le Guin acrescenta uma rainha alienígena ao tabuleiro: e se tivéssemos ainda uma nação anarquista posicionada? E outros mundos habitados por seres humanos no páreo? Os acréscimos são precisos: com jogadas estudadas, o livro tem o condão de renovar-se a cada ano.

O livro possui duas histórias imbricadas, que paralelas traçam a trajetória de um homem entre os planetas gêmeos Anarres e Urras, “nosso planeta é a lua deles; nossa lua é o planeta deles”. A primeira história trata da chegada do Dr. Shevek, nativo de Anarres, ao planeta Urras, em jornada fáustica cruzando o espaço em busca de conhecimentos maiores. A segunda história narra sua vida pregressa na forma de um romance de formação: conheceremos os aprendizados de um menino magrinho até que se torne um grande físico proponente da Teoria da Simultaneidade.

 

+ Leia o restante do artigo na íntegra: http://www1.folha.uol.com.br/ilustrissima/2017/11/1938606-ursula-le-guin-aborda-a-utopia-em-livro-premiado-sobre-planetas-gemeos.shtml

Os Despossuídos (The Dispossessed: an ambiguous utopia) está publicado no Brasil pela Editora Aleph.

Minha tese de doutorado analisa “A mão esquerda da escuridão” da mesma autora.

.

+ É muito boa esta matéria de André Cárceres ao Estadão: ‘Em tempos sombrios, as pessoas olham para escritores’, afirma Ursula K. Le Guin. Aos 87 anos, primeira autora a fazer sucesso na ficção científica fala em entrevista exclusiva sobre feminismo, questões sociais e linguagem em sua literatura

.

+ VÍDEO| Assista ao discurso da Ursula Le Guin quando recebeu o National Books Awards dos EUA, com legendas em português:

Share

Related Posts

Follow on Feedly