Exercício nº 6: quiasma (ou marquei um x no teu coração)

exercicio 6 quiasmas

Durante momentos de viagens interespaciais que meu cérebro não resiste e embarca, fiquei praticando composições com quiasmas. Daí queria propor que vc tb fizesse isso.

Quiasma é a figura de linguagem relativa a estruturas em X. Presente no mais típico exemplo do

No meio do caminho tinha uma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho

Você enxerga um X no meio dos versos, que une “no meio do caminho” dum lado pro outro. E pega a “uma pedra” do lado pro outro. O bonito da realização do quiasma aí no Drummond é ver como o X (o entrelaçamento de conteúdos), reforçado pela posição na sequência das palavras. Sacou?

Outro exemplo, que não é um quiasma propriamente dito, mas se utiliza dessa alternância de posições em X aparece no clássico Todesfuge do Paul Celan. Dos versos

um homem mora na casa teu cabelo de ouro Margarete
teu cabelo de cinzas Sulamita ele bole com cobras

o poeta simplifica, muda posições e termina com

teu cabelo de ouro Margarete
teu cabelo de cinzas Sulamita

 

(nota: escolhi a tradução do Modesto Carone – no artigo “Todesfuge” de Paul Celan e suas traduções possíveis de Artur Almeira de Ataíde publicado na Revista Cultura & Tradução, João Pessoa, v.1, n.1, 2011, há uma comparação boa com muitas traduções feitas e saídas possíveis a este poema – o link ao artigo está quebrado, mas consegui ler via cache do google)

Entendeu o mecanismo?

Não sei o motivo que me levou a amar tanto quiasmas, mas é algo antigo. Parece que compreendo melhor quando tem a inversão, a repetição. Algum espírito barroco.

Daí fiz uma série grande de exercícios. Muitos e muitos rascunhos. Alguns ficaram legais. Mando o que ficou mais redondinho, tem a ver com uma história engraçada que ouvi de amigas e com o Cena de mesa da Lilian Aquino, poema que está em Pequenos afazeres domésticos (no caso, da Lili lembro da ideia de camiseta).

.

Hoje a proposta é praticar quiasmas!

Em poesia ou prosa, construções que na forma traçam o x. Vale reescrever um texto obviamente. Mando mais um exemplinho.

 

 

resistance is existance

acordar e a camiseta do moço

do moço, acordar e a camiseta

lutas interplanetárias

frases incendiárias

tanto algodão e palavras,

puro desperdício deste incrível mural de sonhos,

o dorso

dormir e a camiseta do moço

do moço, dormir e a camiseta.

#poetryisnotterrorism

#poetryisexistance

Related Posts

Leave A Comment

You must be logged in to post a comment.

Follow on Feedly