Exercício nº 5: traduções impossíveis

Share

Dia dos namorados em 2015 no Brasil. Hoje e agora. E pensar que a noção do amor que conhecemos não existe e não existiu para tantas civilizações. Arrisco mais, dizendo que o denomino de “amor” não é o mesmo “amor” dos meus pais. Mais diferente ainda de meus avós. Como seria o “amor” de meus bisavós? Em outros países, o “dia dos namorados” possui outra acepção. O amor pode englobar amigues. Pode ser em outra data. Happy valentine’s day.

Traduzir é um ato relevante a quem escreve. Seja tradução no sentido estrito (dizer o sentido de uma palavra em outro idioma), seja no sentido conotativo de explicar um sentido menos habitual, captar e reelaborar em palavras uma cena, uma emoção. Traduzir textos e cenas que gostamos é excelente para afiar as facas da criatividade e espiar dentro dos profundos fossos de fundação dos edifícios de sentido.

Também gostaria de complicar dizendo que sinônimos absolutos não existem. Claro! É quase uma questão de lógica: se uma palavra fosse exatamente idêntica a outra, esta segunda palavra seria extinta pela total inutilidade. Percebe?

Sempre há um “algo” diferente entre uma palavra e outra. Digo, dentro um mesmo idioma mesmo. Quando linguísticas fazem o que se denomina “estudo de campo semântico” é isso: vc contrasta sentidos e anota o que há de diferente. No exemplo dos sinônimos progenitora, mãe e mamãe, é possível perceber o fenômeno – o sentido se altera, saindo de uma palavra bem burocrática e, às vezes, religiosa (progenitora), avança para um sentido mais habitual, que pode ter muitos usos e discursos (mãe) e caminha para à linguagem infantil, o recôndito doméstico, etc (mamãe). Ou seja, esses sinônimos, se forem analisados à contrapelo, não são palavras com o sentido idêntico. Ahá. Te contaram isso na escola?
.

exercício5

Hoje a ideia é praticarmos traduções impossíveis.

Sim, a ideia de fracasso é inerente. Não, não vai dar certo. Mas o que se ganha no caminho do fracasso é maravilhoso. A ver que pasa.

Fiz duas variações de exercícios que lidam com o tema. Se joga.

 

Proposta 1

[1] Escolha uma palavra ou expressão que vc considere bastante difícil de tradução. Algo que te emocione, que vc ache importante, que faça sentido escrever a respeito. Pode ser em outro idioma, pode ser uma variação linguística, pode ser uma sensação, comportamento. Selecionei três exemplos, um literário e outros dois mais cotidianos:

[2] Escolheu? Agora tente traduzir. Com tuas próprias palavras. Não tem problema se vc fizer textão. O que importa é vc tentar trazer um sentido alienígena ao próprio seu-mundo.

 

Proposta 2

[1] Selecione o verso mais lindo do mundo cantando em outro idioma. Tipo o happiness hit her like a train on a track.

[2] Traga pra sua própria língua.

[3] Como se trata de verso cantando, observe as modulações de ritmo, as diferenças entre vogais, os sons das consoantes. Veja se consegue imitar o procedimento ou se incorpora essas belezas de uma outra maneira.

[4] Entenda esta proposta da forma mais ampla possível. E boa viagem.

Share

Related Posts

2 Comments

  1. Luciana
    29 de junho de 2015 at 12:51

    todo malamanhado, mas saiu: http://borboletasnosolhos.blogspot.pt/2015/06/dos-impossiveis.html

  2. Luciana
    13 de junho de 2015 at 14:14

    Vou tentar fazer a primeira parte. A segunda vai ser impossível, uma maldade com a única pessoa que tem disciplinadamente respondido tudo aqui (aka, eu). Porque sou menos que monolíngue. Não falo nem português (ou brasileiro, como querem os portugueses), falo apenas cearensês, esse dialeto quase perdido, hohoho.

Leave A Comment

You must be logged in to post a comment.

Follow on Feedly