Resenha: Deixe as estrelas falarem, Lady Sybylla

Resenha: Deixe as estrelas falarem, Lady Sybylla

"Deixe as estrelas falarem" é um livro de ficção científica brasileiro que conta as aventuras da capitã Rosa Okonedo em uma viagem espacial. Dialoga como Star Trek, Stargate e até mesmo com "A longa viagem a um pequeno planeta hostil" de Becky Chambers.

Read more
O amor habita todos os tempos, apresentação de Francesca Cricelli

O amor habita todos os tempos, apresentação de Francesca Cricelli

O que permanece em nossa escrita com o passar do tempo? Quanto da prosadora e poeta navegada Ana Rüsche se presentifica nesta novela de amor? Há um núcleo em nós, como no alinhavado das palavras, que perdura, pois contém em si o passado e o futuro. Texto de Francesca Cricelli ao "Do amor", livro novo.

Read more
Resenha: As águas-vivas não sabem de si, Aline Valek

Resenha: As águas-vivas não sabem de si, Aline Valek

"As águas-vivas não sabem de si" é um dos bons livros de ficção científica brasileira publicado na década de 2010. Fruto de trabalho de pesquisa primoroso e imaginação poderosa, o livro é um convite a quem quer saber como anda a produção nacional.

Read more
“Pela janela”: minha dica de filme!

“Pela janela”: minha dica de filme!

Com uma protagonista pouco tratada no cinema, a mulher de 65 anos, "Pela janela" fala de crise, mudanças e laços. A estreia de Caroline Leone na direção e a atuação de Magali Biff são demonstrações claras sobre a necessidade de termos mulheres dirigindo, atuando e contando histórias.

Read more
Resenha: De A a Z, dicas para escritores, Fábio Fernandes

Resenha: De A a Z, dicas para escritores, Fábio Fernandes

A leitura é divertida e os conselhos bem diretos e práticos. Nos exemplos, você encontrará de Édipo Rei, Moby-Dick, Graciliano Ramos até o especial de natal do Roberto Carlos. Fábio Fernandes trata de bloqueios criativos, escrever começos, fazer cortes e outros temas.

Read more
Minha palavra de Ano Novo

Minha palavra de Ano Novo

Resiliência. Palavra gasta, sapato velho. Gasta como esperança nos cartões de Natal. Gasta como empatia, homeopatia aos dias. Gasta como a gratidão dos hipsters. Afinal de contas, resiliência?

Read more
Follow on Feedly